1a Festa da Cerveja Artesanal em Tatuí-SP

Eu com minha esposa, família e amigos que foram prestigiar o evento

No último dia 23 aconteceu a 1a Festa da Cerveja Artesanal em Tatuí-SP. Este evento, do qual participei, foi organizado pelo Rotary Tatuí em conjunto com o professor/cervejeiro Flávio Isaac.

O idéia do evento, pelo que conta o Flávio, surgiu de uma conversa com o Rotary que estava interessado em fazer um jantar com vinhos artesanais. O Flávio conseguiu convencer o Rotary que cervejas artesanais seria mais interessante por propor uma mudança de hábitos e paradigmas das pessoas que fossem ao jantar.

Dito e feito. O jantar lotou sem qualquer divulgação prévia. Só no boca a boca apareceram cerca de 180 pessoas.

Para saciar a sede de tantos o Flávio recrutou um time bom de cervejeiros que levaram a sua produção para degustação. Foram:
– Nunes e Levy
– B&R
– Granados
– Castrum
– Mestre das Poções
– o próprio Flávio
– os Frades
– Rotenfuss (este que vos escreve)

Eu levei para serem degustadas 16l de Maracugina 2.0 (com menos maracujá), 2l de Maracugina 1.0 (com MUITO maracujá) e 2l de Witbier com Acerola.

Todas foram muito bem recebidas. O interessante foi ver a reação das pessoas ao aroma e sabor inesperado de fruta. Afinal, poucos alí já haviam experimentado uma fruit bier. O engraçado é que servir fruit beer em um evento assim faz parecer que você está com uma barraca de sucos.

– Você aceita maracujá ou acerola? – Repeti essa frase a noite toda.

Além disso alguns paradigmas foram quebrados. Um dos participantes que me procurou, ao saber que a cerveja que tinha alí era de trigo, na mesma hora me disse:

– Obrigado, não gosto de cerveja de trigo.

Bastou explicar que a cerveja de trigo que ele havia experimentado antes e não tinha gostado era uma Weissen alemã, mais maltada e encorpada que uma Witbier belga, que ele já se abriu para degustar as wit. Como ele não gostava de maracujá, foi de Acerola. Resultado? Gostou muito. Tanto que levou um copo de Maracugina para a esposa e meia hora depois já veio perguntar se eu poderia brassar 20l só para ele.

A satisfação pessoal de ver aquilo que fazemos com muita dedicação, só para nós mesmos, ser apreciado por outras pessoas é indescritível. E não só isso, várias pessoas perguntaram como elas faziam para conseguir mais Maracugina depois do evento.

Agora, um ponto que preciso trabalhar é no rótulo e na identidade da marca. Ir a um evento desse sem rótulo é complicado, pois todos querem ver como você se apresenta. Para isso já estou repensando o rótulo with a little help from my mother (parafraseando o Beattle Ringo Star). Aguardem.

Outro ponto alto da noite foi quando o Nunes e a Levy tiraram da sacola a ÚLTIMA garrafa da Toucinho. Aquela Toucinho que foi a Rauch Bier campeã no Concurso Nacional das ACervas de 2011. A cerveja é fantástica. Inconfundivelmente uma Rauch, tanto no aroma como no sabor. No entanto foi a Rauch que tomei até hoje com o melhor drinkabillity (se é que existe essa palavra). Uma Rauch boa e fácil de beber.

Parabéns mais uma vez Nunes e Levy.

Nunes com a Toucinho

Ps.: Atendendo a pedidos o nome correto é Toicinho e não era a última garrafa hehehehehe.

4 Responses to 1a Festa da Cerveja Artesanal em Tatuí-SP

  1. Ricardo Unterkircher disse:

    Legal… qdo teremos um assim em Sorocaba?

    • Para organizar um assim em Sorocaba basta querer. Sabe se alguém da confraria sorocabana tem contatos com o Rotary, Lyons, ou qualquer outra associação filantrópica para entrarmos em contato?

  2. Nunes & Levy disse:

    Valeu Linus. Muito bacana o post. Só corriga duas coisas: uma, para eu não apanhar, é que não era a última garrafa…rs… e outra que não é Toucinho como andam dizendo, o nome é o mais popular, Toicinho. Abraços!
    Nunes & Levy

%d blogueiros gostam disto: