BBC

HISTÓRICO

A atividade cervejeira no Brasil está vivendo uma revolução que começou há cerca de dez anos. As importações de cervejas especiais aumentaram significativamente, cervejarias artesanais vem conquistando uma fatia importante do mercado – ainda que em comparação com as cervejarias de massa seja uma fatia pequena – e os cervejeiros caseiros estão proliferando velozmente e alcançando um nível de excelência na produção comparável ao de países com grande tradição nesta área.

Desde meados da década passada, um grupo de entusiastas acompanha de perto e documenta por meio da internet este processo, publicando cotidianamente ideias, informações e opiniões sobre as mudanças que assistimos neste setor no país. Trata-se de um grupo diversificado em pensamento e ação, que reúne profissionais dos mais diversos ramos do saber, unidos pela paixão por cervejas de qualidade: os blogueiros de cerveja.

Suas palavras alcançam um número crescente de leitores sedentos por saber mais sobre uma das bebidas mais antigas conhecidas pela humanidade. Por isso, influenciam um número também crescente de profissionais de mídia acostumados a lidar apenas com as gigantes cervejeiras globais que, por longos anos, mantiveram domínio absoluto do mercado.

Conscientes de seu papel na difusão da cultura cervejeira no Brasil, após realizarem trabalhos conjuntos para medir a amplitude deste movimento e desenvolverem um fórum online de debates, os blogueiros começaram a se organizar efetivamente em 2011. O presente documento tem a intenção de propor os pontos de convergência dos pensamentos dos integrantes – profissionais e amadores – deste grupo, e propor linha gerais de atuação que reflitam suas preocupações comuns.

PRINCÍPIOS

Os Blogueiros Brasileiros de Cerveja (BBC) entendem que a divulgação da cultura cervejeira e a análise do mercado cervejeiro devem obedecer a princípios fundamentais de ética, liberdade de expressão e responsabilidade.

Sendo assim, os integrantes do BBC passam a assumir perante o público os seguintes compromissos:

• De fornecer informações e opiniões isentas de influências comerciais indevidas, devendo ser expressas claramente quaisquer condições de produção do material que possam afetar essa isenção;
• De incentivar, em suas manifestações online e offline, o consumo responsável de bebidas alcoólicas;
• De identificar, sem exceções e com o devido destaque, a autoria e a fonte dos materiais (textos, vídeos, imagens) usados que não sejam de produção do responsável pelo blog e seus eventuais colaboradores;
• De indicar de forma objetiva, adotando quaisquer abordagens e nomenclaturas que julgarem convenientes, a forma de produção das cervejas apresentadas em resenhas e reportagens, distinguindo nitidamente as bebidas caseiras das comerciais;
• De adotar práticas condizentes com as boas intenções expressas neste documento, buscando o convívio harmonioso e o fortalecimento da união de esforços com os demais integrantes do grupo.

AÇÕES

Para identificar os blogs administrados em concordância com os princípios desta declaração, o grupo adotará um selo que será conferido, posteriormente, aos blogueiros que manifestarem vontade de agir de acordo com tais princípios, e deverá ser mantido por estes enquanto isto ocorrer.

Os blogs reunidos sob esta organização buscarão realizar ações conjuntas em prol da difusão da cultura cervejeira no país, que podem tomar a forma de campanhas, eventos, e quaisquer outros meios considerados compatíveis com os ideais expostos neste documento.

Tais ações poderão ser definidas e desenvolvidas por quaisquer dos integrantes do grupo, devendo ter o apoio dos restantes na medida do que estes considerarem pertinente.

Blumenau, Santa Catarina, 24 de março de 2012

ASSINADO
Alexandre Bratt – CluBeer

Bernardo Couto – Homini Lúpulo

Bruno Couto – Eu Bebo Sim

Daniel Conde Perez – A volta ao mundo em 700 cervejas

Fabian Ponzi – Bebendo Bem

Fabio Andreoli – Ein Prosit Empório

Fabio Hofnik – Cerveja Brasilis

Guilherm Schwinn – Gastrobirra

Gustavo Corrêa – De gole em gole

João Fanchin Queiroz – Bar do Jota

João Gabriel Margutti Amstalden – Panela de Malte

Linus De Paoli – Rotenfuss Bier

Lucas Serafini – Cervejas Especiais

Luciano Castro – O Mestre Cervejeiro

Luís Celso Sniecikoski Jr. – Bar do Celso

Marcelo Ricardo Monich – Cerveja? Gosto sim.

Marcio Beck – A volta ao mundo em 700 cervejas

Mauricio Beltramelli – Brejas

Nicholas Bittencourt – Goronah

Rafael Borges – Have a Nice Beer

Raphael Rodrigues – All Beers

Robson Vergilio – Vergilio

Advertisements

Piló

Estava pensando a um bom tempo como batizar a minha RIS. Afinal chamar pela estilo só não passava bem o que era aquela cerveja. Sendo uma cerveja, escura, preta, forte, encorpada, de personalidade, comecei a buscar nomes ou pessoas que representassem isso. Queria fugir de qualquer nome como Rasputin ou Czarina por já existirem cervejas com estes nomes e por querer fugir de qualquer referência russa.

Comecei a pensar em dar o nome de Cassius Clay, nome de batismo do pugilista que ficou famoso pelo nome de Muhammad Ali mas depois de uma seção nostalgia no facebook me lembrei de uma pessoa que representou tudo aquilo que buscava.

Um negro forte igual um touro, inteligente, guerreiro, de personalidade forte e ao mesmo tempo de coração enorme, carinhoso e doce com a família. Um exemplo que convivi durante a minha infância. Meu avô.

Por isso resolvi batizar a Rotenfuss Bier RIS de Dotô Piló.

image

60% da cerveja, quem bebe, é o governo

Hoje, durante o Festival da Cerveja em Blumenal, as 17:00 vai rolar um protesto contra a alta carga tributária que incide sobre as cervejas artesanais no país.

Essa alta tributação inviabiliza a criação de novas nano e micro cervejarias no país e ainda vai inviabilizar e fechar muitas das micro já existentes.

Nós como consumidores precisamos exigir dos nossos representantes no legislativo federal que essa política seja revista. Mas principalmente as micro precisam se organizar e lutar UNIDAS para esta causa comum.

Oatmeal Stout e Irish Red

Como já comentei em outro post fiz para estrear o brew stand uma Oatmeal Stout e uma semana depois fiz uma Irish Red.

A receita da Oatmeal stout foi:
3.750 kg malte pilsen
1.600 kg malte pale ale
660 g aveia em flocos
500 g carahell
428 g carafa special III
400 g cara 45
100 g special b
80 g carafa special I
65 g fuggles em FWH first wort hopping

OG 1.044 kg/l

Mostura por infusão simples a 66oC com mash out de 78oC

Fermentado a 17oC por 3 dias e a 22oC por mais 10 dias com US 05.

Receita da Irish Red
5 kg malte pale ale
1 kg malte munique 20L
600 g cara 50
200 g cevada torrada
50 g fuggles a 60 minutos

OG 1.044 kg/l

Infusão simples a 66oC com mash out.

Irish Red sendo recirculada
Irish Red sendo recirculada

Fermentado a 17oC por 3 dias e a 22oC por mais 10 dias com US 05.

Na brassagem da Oatmeal stout consegui 70% de eficiência fazendo batch sparging e na Irish Red 80% com fly sparging.

Fazendo Fly Sparging
Fazendo Fly Sparging

UPDATE:
A Oatmeal Stout ficou mais seca do que pede o estilo. Agradou muito ao público mas se quiser fazer uma para o concurso paulista deste ano a receita precisa sofrer alguns ajustes. Quando for faze-la posto aqui a receita.

Ótima notícia

A notícia é tão boa que merece ser replicada aos quatro cantos desse país proto cervejeiro.

O Roberto Fonseca do Blog do B.O.B. deu o furo que a Bodebrown e a Lamas Brew Shop (que ainda vai abrir) irão vender oficialmente fermentos White Labs no Brasil.

Bora abrir uma cerveja artesanal hoje e comemorar.

http://blogs.estadao.com.br/bob/bodebrown-fecha-acordo-com-whitelabs/comment-page-1/#comment-2110