Françoise

Ontem a noite resolvi abrir uma garrafa da Sour Framboise para ver como estava indo a carbonatação.

Na empolgação de postar a foto nas redes sociais o corretor ortográfico do celular acabou, sem quere, batizando a cerveja de Françoise.

Então eis que lhes apresento (agora carbonatada) a Rotenfuss Bier Françoise.

Françoise

Como podem ver a cerveja está mais turva do que a experimentei antes do envase. Isso devido ao excesso de fermento usado. Agora vou colocar todas as garrafas na geladeira a 1oC para forçar a decantação do mesmo nas garrafas antes de servi-las.

Anúncios

pLambic virou Sour Framboise

Quem lê o blog a um bom tempo sabe que no dia 15 de novembro de 2011 eu brassei o mosto do que seria uma pLambic fermentada e azedada com o Belgian Lambic Blend da WYeast.

https://rotenfussbier.wordpress.com/2011/07/14/plambic/
https://rotenfussbier.wordpress.com/2011/11/21/receitas-do-feriado/

No mês passado adicionei framboesas congeladas ao mosto já em processo de azedamento a quase de 6 meses.

E finalmente semana passada engarrafei a cerveja e experimentei como ela estava antes mesmo de carbonatar.

Posso dizer que ficou com o aroma característico de sours com um leve frutado da framboesa. O sabor está bem leve no azedo e bem leve no frutado. Ficou uma cerveja delicada e suave. Acho que vai agradar bastante gente, principalmente quem não gosta de sour.

Por ser uma sour beer resolvi fazer a refermentação na garrafa para não correr o risco de contaminar um post mix, conexões, mangueiras e etc. E por isso mesmo surgiu uma dificuldade a mais. Por passar por um período longo de azedamento (para alguns até curto uma vez que o costumeiro é de 12 a 18 meses) o fermento usado no início da fermentação já não tem mais capacidade de refermentar na garrafa. Por isso é preciso adicionar uma quantidade de fermento adicional somente para carbonatar a cerveja.

Para isso escolhi usar oum pacote de S-33 (seco) que tinha guardado e fiz o priming com 7g/l de açúcar.

Outra dificuldade foi fazer o sifonamento do mosto sem usar o auto siphon, para não contamina-lo.

Por esses dois motivos acabei cometendo dois erros.

Primeiro erro, adicionei fermento demais no mosto para refermentar. Para tentar corrigir, depois de carbonatadas as garrafas, vou condicionar na geladeira a 2oC por pelo menos 1 semana para decantar o máximo possível o fermento.

Segundo erro, por dificuldade de controlar o sifonamento fazendo ele manualmente levei algumas framboesas para dentro das garrafas. Nada que atrapalhe o sabor, mas vai ficar com o aspecto comprometido.

Para a próxima sour que fizer já anotei que preciso reduzir drasticamente a quantidade de fermento para a refermentação na garrafa e colocar as frutas dentro de um hop bag para ajudar a rete-las.

Cobertura do concurso – Fuggles Beerblog.com.br

Para aqueles que não viram ainda, o Fuggles (beerblog.com.br) fez uma cobertura grande do que aconteceu no 7o concurso nacional das Acervas.

Tem entrevistas com os campeões das 5 categorias.
Doppelbock e Best of Show – Nunes&Levy
Irish Red Ale – Éverton Estracanholli
Russian Imperial Stout – Sérgio Buzzi
American IPA – Gárgula (Bruno Faria Lopes, Luiz Giglio e Marcelo Sczepanik)
Estilo Livre – Anuar Tarabai

Além das entrevistas o HopCast! 2.0 foi inteiro dedicado ao concurso e logo logo teremos o HopCast! 2.5 com um convidado especial para fechar a cobertura.
 

Finalistas do 7o Concurso Nacional

Saiu a lista de todos os finalistas nas 5 categorias do 7o concurso nacional das Acervas.

Não emplaquei nenhuma das minhas cervejas nas finais. Não tem problema. Agora é esperar as fichas de avaliação e enfiar a cara nos livros e nas panelas.

Finalistas do VII Concurso Nacional das Acervas

Resumo do 7o Concurso Nacional das Acervas

Já falei bastante sobre o que aconteceu neste 7o Concurso portanto resolvi escrever um pouco sobre as palestras e cervejas que gostei.

Como já falei na 5a feira as palestras não me interessaram muito no entanto na 6a feira pude aproveitar bastante.

Começou o dia com uma palestra sobre fermentação, dada pelo PhD. Marcelo Cerdan da Fermentis. Ele ressaltou como as nano cervejarias podem agregar valor aos seus produtos através de cervejas diferenciadas (que não estejam diretamente classificadas em algum estilo do BJCP) e/ou de high gravity (alta densidade e alto teor alcóolico). Além disso reforçou a necessidade do manejo correto da fermentação em cervejas high gravity para o maior atenuação e como o uso de nutrientes (nitrogenados) podem auxiliar neste processo.

Na sequência tivemos a palestra do Paulo Schiaveto sobre a importancia da manipulação das proteínas no processo de brassagem e como um mosto limpo contribui para a qualidade da cerveja. NOTA PESSOAL – Preciso fazer a filtração do mosto com mais calma, isso aqui não é uma corrida.

Fechamos a manhã com a palestra do mestre John Palmer sobre como a alcalinidade residual da água pode ajudar ou afetar o resultado da cerveja. Ele descreveu como o pH e a alcalinidade residual podem afetar o resutaldo dependendo da quantidade de grãos torrados na mostura.

A tarde tivemos a palestra da Nicole Erny sobre degustação e avaliação, técnicas de degustação e alguns off flavors. Foi o momento em que todos nos colocamos a beber Bhrama estragada (com diacetyl, vinagre e outro que não me recordo).

E para encerrar o dia, pelo menos para mim, teve a palestra de cerveja e gastronomia com o Ronaldo Rossi da Cervejoteca. Na minha opinião foi uma das melhores palestras do evento todo com muita informação e descontração.

Na 6a feira a noite fomos para a Dama para a festa de confraternização onde o melhor foram as cervejas degustadas que foram levadas por mim, pelo Rodrigo Casarin (parceiro do HopCast!), pelo Fred Ming, mais as que estavam lá sendo servidas (IPA da Cervejaria Nacional, IPA do Lagom, etc.). Tive a Maracugina e Oaked Dr. Piló degustadas pela Nicole, Martin Boan, Roberto Fonseca, John Palmer e recebi elogios e algumas sugestões de todos. No resumo a maioria gostou das cervejas e deu só a sugestão de reduzir um pouco o maracujá e o carvalho na Maracugina e na Dr. Piló espectivamente.

No sábado tivemos o MEGA FESTIVAL com quase 400 pessoas presentes, muito rock’n’roll e muita cerveja boa. Notas positivas para a Pupkin Ale do Alex Mecenas, Morróides e Extreme Rauch do Nunes & Levy, Pale Ale, Oatmeal Stout e Wit com pimenta da Caverna dos Ogros, AIPA do Guilherme deSanti, RIS e AIPA com pimenta do Fred Ming, Mula (AIPA) da Cervejaria Nacional, AIPA do Lagom e mais alguma RIS (acho que foi a Nankin) que me derrubou.

Resumindo o evento como um todo foi 10. Muito bom mesmo.

image

image

image

image

image

image

 image

image

 

3º dia do concurso

No 3º dia do concurso tivemos um mega festival com muita cerveja caseira e artesanal, comida, rock n roll e a divulgação dos ganhadores do concurso.

Não ganhei medalha, mas ganhei muito elogio nas minhas cervejas e o mais importante, um monte e amigos novos.

Como não mer lembro muito do final da festa seguem algumas fotos do dia.

E o mais importante, O NUNES E A LEVY FORAM OS GRANDES GANHADORES NO ESTILO MAIS DIFÍCIL, O DOPPELBOCK E O BEST OF SHOW. PARABÉNS.

RESULTADOS OFICIAIS DO CONCURSO

image

image

image

image

image

image

image

2º dia do concurso

No segundo dia do concurso pode assistir as palestras mais técnicas. Começamos o dia com o tema Fermentação, passando por Proteínas e fechando a manhã com Água.
Todas muito boas.

image

A tarde as palestras matam para a FATEC enquanto o salão de eventos do hotel era organizado para a festa de sábado.

Houveram vários atrasos tanto das palestras de manhã como no reinício a tarde, parando por imprevistos com o deslocamento para a FATEC.

A tarde duas palestras ocorram em paralelo, Como montar umas micro cervejaria e Acabando Cervejas, para compensar os atrasos. Gostaria de ter assistido as duas mas acabei optando pela de avaliação de cervejas que foi muito boa por sinal. Na sequência mais uma palestra sobre Cerveja como Elemento Gastronômico. Também ótima.

Acabei optando por não assistir a última palestra e mer preparar para a noite.

A noite foi um capítulo a parte. A festa foi mal organizada aparentemente pela DAMA. Poucas mesas, pouco espaço, ficamos espremidos entre os tanques de fermentação, e pouca comida, só 3 sanduíches sem graça e que nunca vinham quando pedidos. A parte boa da noite foi que só ouvi elogios sobre as cervejas que levei para dividir com os amigos. Até o Palmer elogiou a Oaked Dr. Piló.

Agora é clarear a mente para a festa de premiação.

7º Concurso – 1º dia

Acabamos chegando em Piracicaba um pouco atrasados e perdemos todas as palestras do período da manhã.

Para compensar disparamos para a rua do Porto comer um filhote na chapa. Uma delícia, recomendo a todos que forem a cidade que dêem um pulo por lá para comer o dito peixe.

image

A tarde ficamos mais tempo conversando com os amigos, Luciano, Ed, X, Rodrigo, Nicholas, Rudolf, Bernardo… E bebendo as boas cervejas que estavam lá para degustação. Destaque para as caseiras do Guilherme DeSanti e dos Ogros.

A noite a podia foi a festa no Cancian com mais cerveja boa, comida “leve” (torresmo, linguiça, rabada, etc.) e chorinho. Tudo muito bom até agora.

image

Hoje (2º dia) teremos palestras do Papa John Palmer e do mestre Paulo Schiaveto.

Em paralelo as cervejas do concurso já estado sendo avaliadas por um time de jurados de primeira, daí o difícil é controlar a ansiedade.

Depois conto um pouco mais do 2o dia.

Beerblog.com.br e HopCast

Pessoal,
Venho aqui divulgar mais um blog cervejeiro que está surgindo.
O Fuggles Beer Blog (beerblog.com.br) foi criado pelo Horácio Moreira e terá contribuições periódicas do Rodrigo Casarin, Victor Pereira e eu mesmo.

Além disso iremos fazer quinzenalmente o HopCast, um podcast sobre cerveja.

Os idealizadores do podcast foram o Horácio e o Rodrigo mas também terá a participação do Victor e de mim.

Deem uma olhada no blog e ouçam o HopCast. Deixem seus comentários e sugestões. Estamos abertos a melhorar sempre o formato do hopcast.

Se quiserem baixar o primeiro HopCast direto daqui basca clicar o link abaixo.

HopCast! – 001 | A cerveja além da cerveja e outras histórias…

Ou então adicionem o link abaixo no seu agregador de podcasts.

http://feeds.feedburner.com/FugglesBeerBlog

abraços
Linus

Aquecimento

Ontem fizemos um aquecimento para o 7o Concurso Nacional das Acervas em casa. Participaram o Edson Piovani, Marcelo Américo, Luciano Savioli, Renata minha esposa e eu.

Ficamos a tarde toda tomando as cervejas que enviamos para o concurso, batendo papo e petiscando.

Tomamos:
– Rotenfuss Bier Witbier (base da Maracugina) – não foi enviada para o concurso
– Rotenfuss Bier Maracugina
– Puckbier Witbier – não foi enviada para o concurso
– Rotenfuss Bier I.R.A.
– Savioli Irish Red Ale
– Savioli American IPA
– Rotenfuss Bier American IPA
– PuckBier Brown Ale
– Savioli Porter (ganhadora do concurso Sorocabano de 2011) – não foi enviada para o concurso
– Puckbier Russian Imperial Stout
– Rotenfuss Bier Dr. Piló RIS (1a leva)
– Rotenfuss Bier Dr. Piló RIS (2a leva) – não foi enviada para o concurso
– Rotenfuss Bier Oaked Dr. Piló RIS – não foi enviada para o concurso

Depois dessa overdose de cerveja caseira de ótima qualidade o Luciano compartilhou duas que ele trouxe na mala da viagem para a Inglaterra:
– Fruit beer que não me lembro o nome…
– Duchese de Borgogne

Como podem ver as cervejas, a comida e a conversa acabaram fazendo com que eu esquecesse de tirar fotos mas só posso dizer que cerveja caseira é isso aí. Boas cervejas e boas amizades.

Das cervejas tomadas acredito que teremos boas chances de trazer pelo menos uma medalha para a região.

E que venha Piracicaba…