Linus&The Great Pumpkin Ale

Linus & The Great Pumpkin

O fato de eu resolver fazer esta cerveja teve na verdade vários culpados. O principal deles foi o Alex Mecenas. Ele foi o culpado de influenciar minha esposa a querer uma Pumpkin Ale. Ele foi o culpado de fazer uma Pumpkin tão boa para o festival do concurso nacional que eu fui persuadido (pela Renata) a tentar fazer uma igual.

Eu e o Alex no festival do concurso nacional

Os outros culpados foram o Renato da Sauber Beer e o Phil que ajudaram com a receita.

Um dos fatos engraçados desta busca pela receita foi que, para todos que perguntava por sugestões ou referências de receitas, a resposta era:”Pumpkin?!? Vai dar trabalho. Se prepara”. Nessas conversas o Renato falou que toda vez que ele faz pumpkin ela entope tudo na recirculação e que a abóbora cria uma gosma que não tem bomba que aguente.

Foi embalado por esse terrorismo todo que me preparei para fazer a “Linus&The Great Pumpkin” Ale em homenagem ao personagem que é meu xará e a sua figura mística preferida. O filme/especial para TV se chama na verdade “It’s the Great Pumpkin Charlie Brown” (“É a grande abóbora Charlie Brown”), mas como o meu nome também é Linus a cerveja vai ficar batizada como “Linus&The Great Pumpkin” Ale mesmo.

It’s The Great Pumpkin Charlie Brown

No final eu segui a receita do Phil e só modifiquei um pouco os condimentos e reduzi a quantidade de 40l para 20l (o terrorismo falou mais alto nessa hora e resolvi diminuir a quantidade de cerveja para facilitar o processo).

5Kg Pilsen
0,35Kg Munich
0,25Kg Melanoidina
0,35 Kg Caramunich
0,25Kg Special B
4kg de abóbora descascada, sem semente e assada em forno por 2 horas adicionada durante a mostura
50g Fuggles a 60min
1 pc S-33 hidratado
1 pc T-58 hidratado
2g Canela em pedaços a 15min do final da fervura
2g Noz-moscada em pó a 15min do final da fervura
2g Cravo a 15min do final da fervura

Mostura a 68oC por uma hora e mais 15 minutos de mash out a 74oC
OG 1078 g/l

Com os contos de terror sobre a recirculação ecoando na minha cabeça eu coloquei as abóboras na mostura dentro de um grain bag de voil. Isso deve ter ajudado muito pois não tive um entupimento sequer durante a mostura e recirculação. A primeira parte do processo foi tão tranquila que consegui lavar todos os grãos e obtive 30l de mosto a 1065g/l (mais alto do que o estimado que era 1050g/l). Empolgado com essa tranquilidade resolvi retirar a abóbora da mostura e colocar também na fervura (dentro do grain bag ainda) para intensificar o seu gosto e aroma.

Recirculando

Mas foi durante a fervura que o terror começou. Primeiro foi o lúpulo que estava em um hop bag… O hop bag abriu e o lúpulo ficou todo disperso no mosto. Até aí tudo bem, afinal um monte de gente não usa hop bag mesmo. Depois foi o grain bag com a abóbora que soltou e caiu dentro da panela revirando e soltando vários pedaços de abóbora no mosto fervente. Nessa hora, faltando uns 15 minutos para o final da fervura, resolvi tirar o grain bag com a abóbora que ainda estava dentro dele da fervura e adicionar os condimentos direto no mosto.

Daí até o final da fervura foi tudo tranquilo. O pesadelo começou quando liguei a bomba para o whirpool e para resfriar o mosto. 5 minutos de bomba ligada e nada de começar o whirpool. Chequei as mangueiras e por mais que a válvula da bomba estivesse toda aberta o mosto não circulava. Aconteceu o que temia. A abóbora que caiu na panela, junto com os pedaços de cravo entupiram as válvulas, as mangueiras e o chiller.

Nessa hora resolvi mandar todo o mosto que conseguisse direto para o fermentador por mais que não fosse para resfriar até 20oC. Deste momento em diante foram somente 2 agonizantes horas para transferir 20l de mosto (40oC) a conta gotas para o fermentador. Terminada essa etapa lenta e tensa coloquei o fermentador na geladeira para que ela terminasse de resfriar os 20oC restantes para a inoculação do fermento.

Agora ela está lá, borbulhando na geladeira. E por lá vai ficar por mais 10 dias até que eu abaixe a temperatura e adicione a gelatina para ajudar a decantar o fermento e as particulas sólidas que foram para o fermentador.

Espero que em 3 semanas já de para experimentar e que a grande abóbora possa finalmente, no dia 31 de outubro, aparecer para o Linus no campo de abóboras mais próximo.

UPDATE 11/10/2012:
Ontem transferi a cerveja de um fermentador (50l) para o outro (20l) pois precisava de espaço na geladeira e aproveitei para medir o FG e experimentar um pouco. O FG deu 1020g/l, mais baixo do que eu esperava, deixando a cerveja com 7.7% ABV. A primeira impressão que tive foi que o aroma e sabor de cravo e noz moscada ficaram bem fortes enquanto a abóbora está mais sutil. Vou deixar mais uma semana e meia a 0oC, adicionando gelatina nos últimos dias, e depois coloco no post mix para experimentar carbonatada.

5 Responses to Linus&The Great Pumpkin Ale

  1. lgdona disse:

    Muito bom, Linus! Parabéns!
    Os dois pacotes de fermentos foram juntos nos 20l?
    Meu pai gostou da pumpkin da Sauber… rodei hahahaha!!
    Vou replicar sua receita, direitos autorais liberados?!
    Abração!!

    • Os dos pacotes foram juntos porque era o que tinha, mas poderia usar US05 sem problemas.
      Por usar a receita a vontade. Minhas receitas são de domínio público hehehe. Só cuidado para não entupir tudo. Depois contra como foi.

  2. Pingback: HopCast! – 005 | China, centeio, pumpkin ale, tripel… | Fuggles :|: BeerBlog

  3. Rebê disse:

    Olá.
    Tenho uma dúvida quanto a adição de gelatina para clarificar a cerveja, mas não consegui comentar no post ” ‘Filtrando’ cerveja caseira” então vim aqui mesmo.
    Bom, pelo fato da gelatina levar para o fundo resíduos existentes na cerveja, inclusive parte do fermento, o priming não é afetado? Mesmo com a utilização da gelatina na maturação a cerveja vai ficar com gás e espuma?
    (me desculpe por perguntar por aqui, mas não achei outra maneira)
    Obrigado

    • Oi, sem problemas conectar aqui. Usar a gelatina para clarificar vai no máximo atrasar um pouco a carbonatação com priming. E o priming vai tirar um pouco dos benefícios da gelatina. Mas com certeza o resultado fica melhor do que se não usar.

%d blogueiros gostam disto: