Sobre

Rotenfuss BierCervejaria pé vermelho.

Sempre gostei de cervejas, desde pequeno, por incrível que pareça. Com 16 anos meu pai já tinha certeza absoluta que eu seria um bebedor de cerveja para o resto da vida. Com 18 ano morei 6 meses na Alemanha e visitei Bruxelas. Isso abriu os meus olhos para um universo cervejeiro grande, vasto e diverso.

FB_IMG_1499348794727

Mas foi somente com 32 anos que tive a real noção do quão grande e diverso era esse universo. E foi com 32 anos que resolvi aprender a fazer cerveja em casa.

Mas fazer cerveja em casa para que? Com qual objetivo?

Primeiro, hobby. Todo mundo precisa de um hobby, uma válvula de escape, algo para desligar das obrigações. Escolhi fazer cerveja.

Segundo, para me aprofundar no universo cervejeiro. Só depois que comecei a fazer cerveja que aprendi as diferenças entre os ingredientes e como eles afetam a aparência, aroma e sabor da cerveja. Só depois de aprender o processo é que passei a admirar profundamente os mestres cervejeiros e das leveduras, os operários invisíveis da cervejaria. Para conhecer e produzir estilos de cerveja até então desconhecidos por mim.

Terceiro, para exercer uma atividade criativa sem regras, sem amarras, sem limites definidos do que pode e do que não pode ser feito. Para explorar combinações incomuns de estilos de cerveja e ingredientes.

Depois veio a escolha do nome da cervejaria. Quis fazer uma homenagem a região onde morava (na época que comecei) no interior do estado de São Paulo. Nesta região a terra tem uma coloração cobre avermelhada que dá uma cor vermelha a sola do pé de quem trabalhava descalço na roça, sendo assim chamado de pé vermelho, ou “pé vermei” no dialeto local.

Inicialmente iria chamar de Red Foot Beer, mas como já havia outro cervejeiro local com este nome parti para o alemão. Daí Rotenfuss Bier.

Nascia assim em abril de 2011 a Rotenfuss Bier – cervejaria pé vermelho.

E mesmo com a mudança para a Alemanha em 2015 continuo na ativa me divertindo fazendo cerveja.

Anúncios